Seus Contos Eróticos » Contos de Virgens » Meu pai tentando me impedir de perder o cabaço

Meu pai tentando me impedir de perder o cabaço

Publicado em julho 14, 2022 por stif
3.4/5 - (8 votes)

Oie, tudo bem? Hoje vou contar uma história que aconteceu comigo tempos atrás. Eu me chamo Alana e tenho 19 anos, e vou falar sobre a foda que tive com um coroa que era amigo do meu pai. Eu nunca vi minha mãe, ela me abandonou assim que nasci e o meu pai foi quem me criou. A mulher que me deu a luz foi embora sem falar nada horas depois que eu nasci, isso não é fácil de aturar. Porém eu tive um pai maravilhoso, ele sempre me amou e me deu tudo o que precisava. Quando eu nasci, ele era um cara já de idade avançada, mas ainda assim foi guerreiro e me deu tudo o que precisei. Eu sempre morei com ele, e também dependi dele por muitos anos, tudo o que eu pedia ele me dava e nunca me tratou mal. Nós eramos muito apegados, isso é fato. Porém todo filho um dia vai querer sair e voar não é mesmo? Pois é, certo dia chegou a minha vez. Eu não conhecia muita coisa do mundo lá fora, mas queria muito conhecer.

Novinha viçando e querendo conhecer as coisas boas da vida

Quando fiz 18 anos, tentei explicar para o meu pai que eu precisava de alguém. Eu queria uma companhia, queria alguém que me completasse pois, apesar de ter tudo, eu sentia que ainda faltava algo. A verdade é que, todo mundo vai querer ter uma experiência sexual um dia, não tem como evitar. Porém o meu pai não entendia e nunca aceitou isso, ele sempre me evitou desses assuntos. Até mesmo na escola ele optou para mim não receber aula de sexologia. Era algo super fora do normal para quem conhece o mundo, mas pra mim era algo que acontecia todos os dias. O meu pai nunca teve alguém de verdade depois que minha mãe foi embora. Lembro que ele até contratou algumas garotas de programas, mas nunca teve sentimento por alguém.

Eu queria conhecer pessoas novas, precisava conhecer coisas novas, mas não era fácil pra mim. Certo dia virei amiga de uma garota da faculdade, ela me ajudava demais, em tudo. E ela sabia toda a minha situação, porém ela nunca tentou intervir. Até porque, eu era a primeira pessoa a se negar sobre qualquer tentativa. Porém em uma noite em que todos estariam em uma festa, eu fiquei com muita vontade de também comparecer. Porém eu sabia que caso eu pedisse, meu pai não aceitaria. Mas a minha amiga me incentivou a pedir a ele e então eu fui lá.

Conversa erótica com meu pai tarado

  • Eu: Pai, eu tou querendo muito ir a um lugar e eu preciso que você aceite.
  • Ele: Ir aonde? você nunca precisou sair pra lugar algum, ainda mais a essa hora. Vai deitar Alana.
  • Eu: Não pai, hoje é diferente. Eu realmente quero sair, preciso conhecer pessoas e coisas novas e você não vai poder me impedir.
  • Ele: Como assim? Você vai sair mesmo que eu diga não?
  • Eu: Mas, pai eu já sou maior de idade e tenho direito de escolher o que eu quero. E eu quero muito ir até a uma festa em que todos meus amigos estarão lá.
  • Ele: Meu amor, por que querer ir até esses lugares? Aonde tudo de ruim acontece. Por que não fica em casa como sempre fez?
  • Eu: Não pai, hoje eu quero e eu vou para essa festa. Por que todo esse medo de me deixar sair? O que passa na sua cabeça?
  • Ele: Ok. Nada minha filha, eu não penso nada, pode ir.

Pai tarado cheio de tesão na filha

Então eu fui para a tal festa e me divertir demais. Conheci pessoas que foram super legais comigo e me trataram super bem. Voltei pra casa pela manhã e logo na entrada estava o meu pai. Ele me obrigou a tirar a roupa para olhar minha buceta pra saber se eu tive relações sexuais. Aquilo pra mim foi uma humilhação enorme, eu tive que ficar pelada para o meu pai e ele ainda tocou em minha buceta.

Depois daquele dia o meu pai manteve esse comportamento. Sempre que eu queria sair ele olhava a minha buceta e quando eu retornava, também olhava. Ele era um maluco obsessivo e que não saia da minha cola. Até que um dia, ele estava em casa com o seu melhor amigo, um coroa que ele conhecia de muitos anos, o senhor Paulo. Então eu fui avisar que iria sair e o meu pai como sempre, fez o mesmo debate de sempre. Ele olhou a minha buceta e só depois disso me liberou pra sair.

Então eu sair com minhas amigas, curtir a noite toda do jeito que sempre quis. Nessa noite eu beijei na boca, chupei várias picas, esfreguei o cu e a buceta no pau dos caras, mas não deixei ninguém penetrar. Eu sabia que ao retornar pra casa meu pai me olharia.

Ficando nua na frente do amigo do meu pai

Ao retornar pra casa, encontro meu pai e o amigo dele, o Paulo. Meu pai brigou comigo porque eu não quis ficar nua para ele olhar a minha vagina mais uma vez. Então o Paulo entra no quarto e pede para ele mesmo verificar se eu tinha feito algo. O Paulo tinha acompanhado todo o meu crescimento e o meu pai confiava demais nele, tanto que deixou ele olhar minhas partes intimas. Então eu ouvir quando o Paulo disse:

  • Me dar um tempo com ela, vou ganhar a confiança dela e então eu verifico se ela fez alguma coisa, pode ser?
  • Meu pai: Ok Paulo, em você eu confio totalmente.

Foi então quando o Paulo ficou sozinho comigo no meu quarto, e eu estava bêbada, então eu senti atração por ele. O Paulo tentava conversar comigo e me acalmar, e eu queria apenas transar e matar o meu desejo. Então eu tive a ideia de ficar nua para o Paulo e seduzi-lo com minha buceta gostosa.

  • Eu: Ok Paulo, sei oque você quer, vou te mostrar – E fiquei peladinha na frente dele.
  • Paulo: Calma, também não é assim. Não faz isso que talvez eu nem responda por mim. Só vim aqui saber se você já deu a buceta, a pedido do seu pai.

Fiquei peladona na frente do Paulo e eu via que ele tremia cheio de tesão, Afinal, tinha mais de 10 anos que ele tinha me visto pelada, quando eu era uma criança. Agora eu era uma ninfetinha puta e queria dar a buceta. Então fiquei pelada na frente do Paulo e abri a buceta para ele verificar. O safado se aproveitou e ainda passou o dedo grande e grosso no grelo da minha xota para ter certeza de que eu era mesmo virgem. Olhei nos olhos dele e afirmei que minha buceta nunca tinha visto uma pica de perto. O Paulo então se ofereceu para me dar o que tanto sempre quis. Ele colocou a pica dura pra fora e esfregou na minha bucetinha

Então chupei a pica do coroa com vontade e deixei ele excitado. Em seguida falei no ouvido dele: você tem pouco tempo para tirar o meu cabaço, e sim, é isso o que eu quero. Não perca tempo.

O Paulo entendeu e fodeu minha buceta metendo a piroca grossa com tesão até me deixar esfolada. O meu pai, lá fora, confiava totalmente que o amigo dele estaria me ajudando a ficar quieta em casa. Na verdade o amigo do meu pai, o coroa, foi o meu primeiro homem e eu gostei tanto que fodi várias outras vezes com o dotado.

9.396 views views
3.4/5 - (8 votes)

Contos relacionados

A irmã do meu amigo é uma puta

Tudo bem gente? Hoje vou contar a história do dia em que comecei a foder a bucetinha da irmã novinha do meu amigo. Ela era uma ninfetinha muito tímida na presença do irmão, porém quando fiquei...

LER CONTO

Comendo a crente virgem de 18 anos

Me chamo Rodrigo, tenho 23 anos, estudante de direito e tarado por crentes. Acabei comendo uma crente virgem que estuda comigo, e me dá muito tesão pegar uma gostosinha assim, sabendo que é...

LER CONTO

Dando o cú pra não perder o cabaço da buceta

Esse conto é algo que realmente aconteceu comigo. É algo que aconteceu há anos, mas eu nunca esqueço aquele dia. Aconteça oque aconteça, o primeiro anal agente nunca esquece.Eu tinha acabado...

LER CONTO

Comendo cu da prima novinha

Olá, tudo bem? Agora vou contar a história do dia em que fodi o cuzinho da prima do interior que veio passar uma semana em minha casa.Cheguei da escola e recebi a noticia da minha mãe que minha...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 3 + 2 = ?
Desfrute do maior acervo de contos eróticos verídicos da internet e o melhor que o nosso conteúdo é 100% grátis.
© 2022 - Seus Contos Eróticos