Seus Contos Eróticos » Uncategorized » O dia que me comeram gostoso

O dia que me comeram gostoso

Publicado em novembro 23, 2021 por store

Era uma sexta-feira de noite, eu já tinha terminado a jornada de trabalho do dia e estava preparado para começar a aproveitar o final de semana. Porém, nesse dia, estava com muito mais tesão do que o normal e andava pelado em casa desejando um bom pauzão dotado para sentar. Mas, como naquele momento o único pau disponível era o meu, decidi dar um rolê pelos bares de São Paulo porque sabia que em algum deles encontraria o que queria para aquela noite.

Tenho 33 anos, 1,84 cm de altura e uma bunda lisinha e empinada, além de um corpo razoavelmente atlético, o que me garantia um encontro naquela noite com certeza. Peguei o carro e parei em um bairro famoso na cidade, logicamente gay por excelência, para tentar a sorte naquela noite mais quente do que o normal.

Entrei em um dos muitos bares que costumava a ir quando era mais novo porque me lembrava que antes, sempre acabava em uma cama com um ou vários clientes que frequentavam o local e dessa vez queria o mesmo dos tempos de outrora.

Os maduros sabem o que fazem

Logo depois de chegar no pub, me sentei no balcão do bar e pedi um chopp bem gelado, dei uma olhada ao meu redor e me senti muito feliz com o que via. Ali haviam homens de todas as idades, normalmente todos mais velhos que eu, o que para mim era perfeito já que uma das coisas que me deixava sempre louco de tesão era poder estar com um homem maduro e viril. Em menos de 10 minutos e para minha sorte, um deles se acercou, aparentava ter uns 50 anos, calvo, com barba, corpulento e com uma pinta de empresário, ou seja, ele estava literalmente de terno e gravata: “-Oi lindo. Você está aqui sozinho?”, ele me perguntava nesse primeiro contato. “-Estava esperando que chegasse alguém como você…”, respondi olhando nos seus olhos e girando meu corpo na sua direção. Ele sorriu, sentou-se ao meu lado e começamos a conversar um pouco. Bom, talvez seja mais correto dizer que ele começou com um extenso questionário: “-Imagino que você esteja aqui porque está com desejo de um pau gostoso, certo? O que você mais gosta de fazer? Você gosta de ser comido com força? Ou que gozem na sua boca? Você gosta que te agarrem pelo cabelo enquanto é penetrado?”. Para ser honesto, fiquei bastante surpreso com o que estava acontecendo, mas a protuberância em minhas calças indicava que também estava com muito mais tesão do que acreditava. Ele então terminou dizendo: “-Se você quiser tudo isso, levante-se e siga-me até o hotel mais próximo”, tocando meu pau por cima da calça. Ele então se levantou da cadeira e eu, bem obediente, fui direto atrás dele. Mas claro, depois de pagar aquele chopp que me deixou ainda mais animado para o que previa que estava por vir.

Receber ordens me deixava ainda com mais tesão

Começamos o trajeto pela rua em um ritmo acelerado, sem dizer uma palavra, até que paramos em frente a um hotel, a duas ou três quadras do bar onde nos conhecemos. Entramos, pedimos um quarto para duas pessoas, pagamos com o cartão dele e recebemos as chaves. Tudo muito rápido. O quarto era no segundo andar e por isso chamamos o elevador, uma vez lá dentro e enquanto subíamos ele me agarrou pelo cabelo e trouxe meu rosto para perto de seu pau. Essa

situação me deixava cheio de tesão e com aquela vara dura na minha cara dei umas pequenas mordidas sobre a calça, recebendo em troca uns suspiros de prazer. Chegamos ao segundo andar e ainda sendo dominado pelo meu cabelo, ele me colocou dessa vez cara a cara, mandou que eu abrisse a boca e cuspiu dentro: “-Eu quero ver você engolir isso…”, e foi isso que eu fiz. Aquele desgraçado sabia como deixar um homem safado como eu louco de tesão.

Chupando um pauzão

Entramos na suíte, grande, espaçosa, com uma cama de casal enorme e um banheiro na esquina: “-Vá para o banheiro para se limpar um pouco e venha aqui já pelado que eu estarei te esperando!”. O fato dele me dar ordens me deixava ainda mais excitado e o meu lado passivo submisso estava adorando aquela situação. Então, fui ao banheiro, limpei minha bunda para que ele me comesse sem nenhum susto e saí pelado como ele mandou. E lá estava ele, sentado na beirada da cama, com seu pau meia bomba que, já naquele estado, devia ter uns 18 centímetros de comprimento: “-Fica de quatro e aproxime-se!” E desse jeito me coloquei, fui engatinhando de quatro até estar cara a cara com aquele pau que só crescia em tamanho e volume. Ele estava então açoitando a minha cara com aquele cacete que já latejava. Foi então quando comecei a chupar aquele pau enorme e lindo que naquele momento já estava um pouco baboso de tanto tesão. Nesse instante já deveria medir uns 23 centímetros, com uma cabeça rosada, pouco pelo, bastante bonito na verdade.

Eu estava tão excitado que tentava com que seu pau entrasse inteiro na minha boca, mas era praticamente impossível. Foi então quando ele pegou a minha nunca e começou a metê-lo inteiro goela abaixo e só parou quando me deu uma leve ânsia. Contudo, nessa hora comecei a salivar ainda mais o que ajudava a chupar aquele pau dotado e bem duro. Para mim era uma das melhores coisas que poderia ter acontecido naquela noite. Eu estava muito excitado e entregue àquele homem, ficamos assim por quase uma hora, até que ele me mandou subir na cama, na beirada e que ficasse de quatro com a minha bunda empinada.

Eu não poderia imaginar que fosse terminar assim

Logo depois, ele se posicionou justo de trás, segurou a minha bunda com a duas mãos e cuspiu dentro do meu cuzinho, me meteu um dedo e começou a dilatá-lo com uma maestria impressionante. A única coisa que eu sabia fazer naquele momento era gemer de prazer, principalmente por sentir-me dominado por aquele macho seguro de si: “-Bom, já dá pra ver que essa bundinha está pedindo um pouco de ação de verdade…”, essa foi a última coisa que ele disse antes de meter aquele pauzão cabeçudo e puta que pariu, que pau!

Com as duas mãos bem posicionadas na minha cintura ele começou a meter lentamente aquela cabeça enorme dilatando ainda mais o meu cuzinho apertado. Eu sentia cada centímetro que entrava e quase me contorcia de tanto prazer. Desde então, quando já me sentia mais cômodo com aquela vara enorme dentro de mim, ele começou aquela metida gostosa. Ele se movia em um ritmo espetacular, a frequência era perfeita e dava até para sentir os seus ovos ricocheteando nos meus. Depois de uns 30 minutos de meter gostoso eu já estava quase chegando no orgasmo sem quase tocar no meu próprio pau, mas eu vi que ele queria gozar primeiro. Foi daí quando ele tirou aquele pauzão babando do meu cuzinho já latejando e disse: “-Eu quero que você se ajoelhe agora que vou encher essa tua boquinha de safado de leite!”, e foi exatamente o que eu fiz. Quando eu abri a boca e coloquei a língua para fora ele gozou bem forte e era tanto leite que jorrava daquele pau que terminei melado por todas as partes, até mesmo no meu peito já suado depois dessa sessão tão intensa e cheia de putaria.

Enquanto estava em meio estado de êxtase depois de gozar, ele começou a se vestir e assim que terminou ele me disse para ir para a cama. Em seguida, pegou a carteira e jogou duas notas de cem na minha cara: “-Se você tiver sorte e eu te encontrar lá novamente, vou te foder de novo. O quarto é seu até amanhã ao meio-dia, se quiser conseguir outro cliente esta noite pode cobrar um pouco mais. Até outra hora e boa noite…”, ele literalmente tinha me confundido com um dos garotos de programa sp e eu, estava mais feliz que nunca, bem comido e com duzentos reais no bolso. Além de uma noite paga em um hotel luxuoso, quem diria que a minha noite poderia ter terminado tão bem assim?

675 views views

Contos relacionados

Perdendo o cabaço com o padrasto

Novinha fodendo com o padrasto pauzudo Hoje vou contar minha história, me chamo Fernanda e tenho apenas 18 aninhos. Toda a minha vida eu passei na escola ou estudando em casa. Minha mãe se...

LER CONTO

Aniversário com sexo anal

Meu marido é um homem muito gostoso e me dá tesão o tempo inteiro. Somos casados há muito tempo, temos uma vida sexual deliciosa, mas eu estava sentindo falta de inovar, então fui numa sex shop,...

LER CONTO

Pagando o aluguel de outra forma

Paguei o aluguel de outro jeito Eu pago um aluguel muito alto e só não me mudo porque minha cidade é pequena e não há opções tão razoáveis pra mim. O proprietário me deu um ultimato...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 2 + 3 = ?
Desfrute do maior acervo de contos eróticos verídicos da internet e o melhor que o nosso conteúdo é 100% grátis.
© 2021 - Seus Contos Eróticos