Seus Contos Eróticos » Contos de Traição » O massagista da minha esposa

O massagista da minha esposa

Publicado em março 24, 2021 por Nordestino_Tarado

Guto, 32 anos.
Minha mulher contratou os serviços de uma massoterapeuta, alguns dias atrás, e fez uma pacote de 10 massagens. Num final de tarde fomos correr no calçadão da praia e minha namorada falou que, quando terminássemos a corrida, a massoterapeuta estaria chegando para fazer massagem nela, enquanto eu tomaria um banho.

Ao chegarmos em seu apartamento, fizemos alongamento na varanda e a campainha tocou. Quando minha mulher, Vera, retornou, a massoterapeuta veio ao seu lado. Minha mulher falou que iria tomar banho rapidinho e retornaria para receber a massagem. A moça ficou vendo TV enquanto eu continuei meus alongamentos, quando Vera voltou para se sentar na mesa de massagem e o telefone fixo tocou. Ela atendeu e era Marta, uma amiga de Vera, que morava a uns quinze minutos do prédio dela.

Depois de atender a ligação, Vera veio meio irritada porque a amiga pediu para que levasse uns documentos até ela, pois estava impossibilitada de pegar. Ela se desculpou com a massoterapeuta e teve a ideia de me oferecer uma massagem até o retorno dela. Falei que não seria má ideia e ela saiu, me deixando a sós com a moça, e eu perguntei a ela se poderíamos começar. Ela falou que sim e eu olhei o rosto dela, uma morena bonita, traços fortes, esbelta, com mais ou menos 1,70m de altura.

Dava pra ver o corpo bonito através do uniforme branco, um corpo bem gostoso, de pernas grossas, bumbum grande, além de um par de seios bem fartos.
Fiquei apenas de sunga preta, modéstia à parte, tenho pernas grossas e uma bunda elogiada pelas mulheres, deitei de bruços e me concetrei. Depois de tempo massageando nessa posição, ela me pediu para virar de frente e assim eu o fiz. Ela começou a massagear as minhas coxas e eu ouvi nitidamente um “ai” bem discreto. Perguntei o que teria sido e ela respondeu muito séria que não tinha sido nada e estava tudo bem.

Aquilo me despertou, fiquei um pouco excitado e ela notou o volume na minha sunga. Não deu pra eu me concentrar na massagem, ela massageava a minha barriga e os dedos dela tocavam de leve a cabeça do meu pau duro, até que eu gemi de leve, o que fez ela entender o sinal e ir direto com a mão cheia na sunga. Nem abri os olhos, fiquei curtindo a massagem no meu cacete, ela botou meu par pra fora e começou a bater uma punheta gostosa e bem devagar, eu tava duro como uma rocha na mão dela.

Ela se aproximou mais de mim.

– A dona Vera volta logo? – perguntou baixinho no meu ouvido.

– Não se preocupe! Nessa hora elas devem estar em reunião de trabalho. Sei bem como são as duas! – falei, deixando-a mais tranquila.

Ela deu um sorriso safado e caiu de boca em mim, sugando devagarinho e logo em seguida acelerando, chupando gostoso e arrancando gemidos da minha boca. Enquanto ela me punhetava e chupava, eu pegava na buceta dela por cima da calça branca, devagarinho fui descendo o zíper, ela ajudou a descer a roupa, ficou só de calcinha, fui afastando pro lado e meti dois dedos na buceta molhada dela, e foi a vez dela de gemer alto e me beijar na boca com muito tesão.

Eu me levantei e deitei ela na mesa de massagem, tirei sua calcinha e abocanhei aquela buceta totalmente depilada e toda melada, saboreando assim o seu suco. Massageei o grelo grande e duro de tesão dela. Ela, de olhos fechados, mordia os lábios e falava:

– Vai, gostoso… chupa essa buceta doida por sexo… chupa!!!

Ela falando e eu socando dois dedos e massageando o clitóris durinho com a minha língua. Ela segurou firme na minha cabeça e falou gemendo:

– Ahhh! Por favor… vai… eu vou gozar, caralho!!!

E assim ela se desmanchou em gozo na minha boca, continuei chupando e diminuindo o ritmo gradativamente. Ela me olhou sorrindo e disse que eu ganharia um belo prêmio. Pegou minha mão, me puxou para o sofá da sala. Mal me sentei e ela começou a me chupar de novo, depois de mamar alguns segundos, ela lambuzou meu pau bem gostoso e sentou em cima, enterrando todos os 18 cm de uma vez naquela buceta deliciosa.

– Meu deus!!! Que pau mais gostoso!!! – ela falou entre gemidos e cavalgou com força. Ela subia e descia na minha rola com vontade, eu sentia a xoxota dela apertar a minha pica, de tão apertadinha que ela era.

– Fode… fode… Ohhh… Safado gostoso, me fode!!! – ela falava enquanto eu percebia que ela tava prestes a gozar.

Abracei aquela moça fortemente, chupei seus peitinhos, beijei aquela boquinha deliciosa e falei no ouvidinho dela:

– Goza, meu amor… pode gozar no meu pau… goza agora… goza!!! – falei e ela se derreteu todinha. Em segundos ela se arrepiou e soltou um grito de prazer. Foi uma gozada muito forte mesmo.

– Queria dar seu prêmio maior! Será que dá tempo?

– Não sei, meu amorzinho… que prêmio é esse?

– Quero que você coma meu cuzinho. – ela disse toda manhosa.

Ela não esperou resposta e colocou a bunda pra cima no sofá.

– Vem… faz gostoso no meu cuzinho, mas tem que ser rápido!

Não pensei duas vezes e já comecei passando a minha língua devagarinho no buraquinho, fazendo ela gemer bem alto, se Vera chegasse, com certeza ouviria lá de fora.

Passei óleo de massagem no meu pau e na bunda gostosa dela, fui introduzindo naquele cuzinho e dando uns tapas no seu bumbum.

– Que cuzinho gostoso… sua putinha, safada, vou encher seu rabo de leitinho quentinho! – eu falava e ela ficava louca ouvindo tudo.

– Vai meu gostoso… fode essa cachorra safada, fode, seu filho da puta gostoso… Oh!!!

Eu comecei a acelera e, quando ela sentiu que eu ia gozar, ela falou:

– Vem, amor… vem, vamos gozar juntos! – ela disse isso quase babando de tesão e começou a alisar o grelo e a mandar eu foder forte, começou a gozar antes de mim. Em poucos segundos eu acelerei minhas bombadas no cuzinho maravilhoso dela e comecei a gozar junto, numa sincronia maravilhosa.
Após o gozo gostoso, fomos para o banheiro e ela tomou um banho rápido e vestiu-se para esperar Vera na sala, fui tomar meu banho bem tranquilo e saciado. Quando voltei para a sala, a moça gostosa estava fazendo massagem em minha mulher numa tranquilidade total.

Aproximei-me, dei um beijo de leve na boca dela e falei que tinha adorado a massagem, e a moça safada deu um sorrisinho cúmplice e continuou seu trabalho com a massagem na minha namorada.

609 views views

Contos relacionados

Uma transa proibida

O meu marido Fernando trabalha de segunda à sábado e como eu não trabalho, fico sozinha em casa. Um belo dia eu estava tranquila, quando o Alex, amigo do meu marido, veio até aqui em casa e...

LER CONTO

Baiano Safado Arrombando a Casada Carente

Oi, sou o Murilo, baiano de Feira de Santana, negro, 1,87 de altura, corpo atlético e viciado em putaria. Acabei arrombando a casada safada que mora no meu bairro e é esposa de um coroa fofoqueiro...

LER CONTO

Motoboy entregou a pizza e fodeu a cliente

Estava em mais uma semana comum de trabalho, até que a pizzaria me mandou para mais uma entrega. Foi na casa de uma linda mulher, chamada Renata. Descobri depois que ela era casada com um segurança...

LER CONTO

Traindo a esposa com a cunhadinha

Fodendo a cunhadinha gostosa na sauna Sou um homem bem apessoado, corpo atlético, aos 35 anos mantenho-me cheio de desejos e tesão. Em função disso, sempre mantive uma tara por minha...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 5 + 1 = ?
Desfrute do maior acervo de contos eróticos verídicos da internet e o melhor que o nosso conteúdo é 100% grátis.
© 2021 - Seus Contos Eróticos