Seus Contos Eróticos » Incesto » Trepando com minha irmã e minha namorada

Trepando com minha irmã e minha namorada

Publicado em maio 19, 2021 por store
3.7/5 - (20 votes)

Minha irmã e minha namorada fizeram um menage comigo

Me chamo Paulo, tenho 24 anos, 1,85m, 80kgs, cabelos pretos e olhos verdes. A história que eu vou contar aconteceu comigo recentemente, e foi certamente uma das experiências mais sacanas que eu já provei.

Eu fui com a minha namorada visitar a minha irmã em Recife. Nós dois moramos juntos no Rio grande do Sul. Sandra, minha namorada, tem 23 anos, 1,65m, bem esbelta, tem dois seios grandes e suculentos, uma bunda não muito grande, pele branquinha e cabelos castanho escuros.

Fazia cerca de 1 ano que não via minha irmã. Ela havia se mudado para Recife para fazer faculdade, e decidiu mudar de cidade, entre muitas razões, para ficar longe da família. Acontece, que minha irmã, Alessandra, havia se assumido lésbica recentemente, e a nossa família não aceitou muito bem. Basicamente apenas eu fiquei do lado dela, como sempre, mas com todo mundo contra, ela decidiu se mudar e trilhar o seu próprio caminho.

Eu apoiei a sua decisão, mas também fiquei triste. Eu e minha irmã sempre fomos muito próximos, e ficar longe dela foi bem complicado para nós dois. Depois que ela se mudou, eu comecei a namorar Sandra, que eu conheci na minha faculdade. Sandra estava indo conhecer a minha irmã, e eu, iria matar a minha saudade depois de tanto tempo longe. Só não sabia que as coisas iriam tão longe.

Quando chegamos na rodoviária, pegamos um Uber até a casa de Alessandra. Ela nos recebeu muito feliz, pulou em meus braços de alegria. Alessandra tinha 22 anos, tinha cerca de 1,68m, bem magrinha, mas com dois peitos durinhos. Havia cortado o cabelo castanho-claro bem curtinho e tinha olhos verdes, que ela puxou da mãe. Alessandra nos mostrou a casa dela. Ela havia começado a trabalhar enquanto fazia faculdade de comunicação social. Ganhava bem e conseguia manter um apartamento bem arrumado em uma boa região de Recife.

Como chegamos cedo, decidimos sair para passear pela cidade e fazermos compras. Sandra e Alessandra se entenderam muito bem. ela e Sandra formaram uma amizade logo de cara. Passamos a manhã e a tarde toda no centro de Recife fazendo compras. Na volta, passamos no mercado e compramos duas garrafas de vinho para beber à noite.

À noite nos sentamos todos à mesa, abrimos a primeira garrafa de vinho e fomos bebendo enquanto apreciávamos alguns petiscos e matávamos o tempo conversando. Porém, quando minha irmã e Sandra começaram a ficar mais bêbadas, a conversa foi se tornando mais picante.

Sandra começou a perguntar coisas sobre a sexualidade de Alessandra. No começo por curiosidade, tipo “Como você soube que era lésbica?” Ou “Como foi contar pra família?” Mas depois, as perguntas foram se tornando “Como é fazer sexo com outra mulher?”. Eu fiquei um pouco sem jeito. Porém, Alessandra não sentia vergonha de contar tudo entre nós três. Sandra, em poucas horas, já estava tirando informações que nem eu havia conseguido tirar de Alessandra com tanto anos criados juntos.

Porém, logo depois que terminamos a primeira garrafa e abrimos a segunda, a conversa foi esquentando. Sandra parou de fazer tantas perguntas a Alessandra e começou a falar sobre si própria. Ela dizia que nunca tinha tido uma experiência lésbica, mas que tinha uma certa vontade. Ela começou a dizer o quanto minha irmã era bonita, e que se ela fosse lésbica, certamente ficaria com ela. Alessandra levou os comentários numa boa, riu um pouco, mas de repente ela pegou na mão de Sandra, meio que sem querer. Elas ficaram em silêncio por um tempo, Alessandra fez um leve carinho na mão dela e acabou soltando “Bom, não vai machucar ninguém se você só experimentar, não é?” E então se debruçou na mesa, aproximando de Sandra e mordeu de leve os lábios.

Sandra deu uma risada, meio que sem jeito, um pouco nervosa, e perguntou “Como assim?”. Alessandra me olhou rapidamente, tentando saber se estava tudo certo com o que ela estava tramando. Eu, estava sem reação, e já um pouco bêbado, não consegui demonstrar nenhum tipo de insatisfação. Alessandra então esclareceu: “O que eu quero dizer é que você pode me beijar, se você quiser.” No começo, Sandra deu pra trás, por um lado, ela parecia nervosa com essa situação, principalmente comigo estando por perto, mas por outro, era impossível negar que ela estava com vontade de fazer isso. Alessandra me perguntou se estava tudo bem minha namorada beijar ela, que seria só um beijinho, nada demais.

Eu acabei concordando e Alessandra aproximou-se ainda mais de Sandra por cima da mesa. Ela passou a mão no rosto de Sandra, e então a beijou. Elas deram um selinho de leve e Sandra começou a rir de nervoso. “Isso não foi um beijo de verdade. Pode me beijar de língua.” Disse minha irmã. Eu estava estupefato com a situação, não acreditava que minha irmã estava querendo beijar minha namorada, mas ao mesmo tempo eu estava achando interessante tudo aquilo. Sandra então perdeu um pouco da vergonha e deu um beijo de verdade em Alessandra. Elas se beijaram de língua por uns longos trinta segundos, Alessandra segurava o rosto de Sandra enquanto isso. Depois, Alessandra sentou de novo no seu lugar e falou: “Viu só? Não foi nada demais.”. Sandra respondeu “Ai, sei lá, foi bom, mas foi um pouco estranho.”.

Eu, então, sem pensar muito, acabei incentivando, falei “Porque vocês não dão um beijo mais… sério?”. Sandra estava bem nervosa ainda, mas Alessandra topou de primeira. Ela chegou a sua cadeira para o lado de Sandra e já colocou o seu braço em volta do ombro da minha namorada. Novamente, Sandra ficou nervosa, mas minha irmã acabou convencendo ela. As duas se beijaram, dessa vez muito mais envolvidas. Alessandra envolvia ela com o seu braço em volta dos ombros. Com o outro, ela segurou na mão de Sandra primeiro, depois começou a passar pelas pernas de Sandra e até chegou a apalpar o seio dela. Eu nunca tinha imaginado nada sexual com a minha irmã, acharia aquilo completamente esquisito, mas confesso que ver minha namorada beijar outra mulher me deixou bastante excitado.

Alessandra foi envolvendo Sandra em seu beijo, que foi perdendo a timidez. Alessandra pegou a mão de Sandra e colocou em seu seio. Ela pegou nele e começou a acariciar. O clima foi esquentando entre as duas e eu comecei a ficar de pau duro com toda aquela situação. Quando elas terminaram de se beijar. Sandra finalmente cedeu. Falou que tinha sido muito bom.

Depois disso, bebemos o último copo do vinho. Ainda era cedo da noite, umas dez da noite. Alessandra colocou uma música e começou a dançar com Sandra. Eu sentei e fiquei observando as duas dançarem. No começo elas dançavam normal, como duas amigas, mas depois, começaram a se esfregar.

Alessandra beijava o pescoço de Sandra e ela rebolava com a bunda dela em Alessandra. Sandra começou a me olhar, sensualizando e vendo se eu gostava de tudo aquilo, e realmente estava. As duas me puxaram a me fizeram dançar junto delas. Elas estavam se divertindo bastante, rindo à toda. Sandra começou a dançar entre nos dois, se esfregando tanto em mim como em Alessandra.

Foi quando ela começou a me beijar e também a beijar Sandra. Ela ficou alternando nisso durante um bom tempo. Foi quando, de repente, Alessandra começou a puxar Sandra até o seu quarto. Fui acompanhando as duas. Alessandra deitou Sandra na cama e começaram a se beijar intensamente. Alessandra disse que seria agora que Sandra iria descobrir se ela gostava de mulher ou não. Alessandra começou a tirar a roupa de Sandra, primeiro foi a camisa, depois o sutiã. Ela começou a beijar os seios da minha namorada. Aqueles seios enormes e suculentos mal cabiam nas mãos de Sandra, ela apertava e chupava com vontade. Depois, Alessandra tirou a parte de cima de sua roupa. Foi a primeira vez que eu via a minha irmã pelada. Apesar de sermos muito próximos, sempre respeitávamos a intimidade um do outro. Até agora.

Alessandra voltou a beijar Sandra, esfregando os seus peitos nos delas. Depois, ela foi beijando o corpo de Sandra e descendo da cama, até chegar em seu short. Sandra tirou os shorts da minha namorada, deixando ela só de calcinha. Ela começou a beijar as coxas de Sandra e acariciar sua buceta por cima da calcinha. Depois, ela colocou a calcinha pro lado e começou a chupa-la. Sandra quase foi ao êxtase instantaneamente, ela começou a gemer e revirar o olho como eu nunca havia visto. Eu estava sentado em uma poltrona que havia no quarto, completamente imóvel, apenas apreciando aquilo tudo. Sandra me chamou. Fui até ela e ela me disse que queria que eu participasse também.

Não pensei duas vezes. Tirei minha camisa e bermuda e coloquei meu pau pra fora. Coloquei ele direto na boca de Sandra, que começou a chupar enquanto Alessandra continuava a lamber sua buceta. Minha namorada me chupava com tesão, estava uma delícia, foi um dos melhores boquetes que ela já havia me dado. Em seguida, Alessandra disse que tinha uma surpresa pra Sandra.

Ela pegou uma caixa debaixo da cama e tirou um cinta caralho. Colocou nela mesma e falou que queria meter na Sandra. Ela aceitou, então Alessandra passou um lubrificante no pênis de borracha e enfiou devagarinho na buceta molhadinha de Sandra. Ela continuou a me chupar, mas depois que o consolo entrou quase todo dentro, ela não conseguia mais. Só o que ela conseguia fazer era gemer de tanto tesão.

Eu me afastei um pouco e fiquei batendo uma punheta enquanto assistia minha irmã comendo minha namorada. Alessandra beijava Sandra enquanto alternava entre bombadas mais rápidas e mais lentas em Sandra. Depois de um tempo, Sandra se virou e Alessandra começou a fodê-la de quatro na cama. Foi quando Alessandra começou a foder com mais força Sandra. Ela puxava o cabelo e estapeava a bunda de Alessandra. Eu me aproximei novamente e coloquei Sandra para chupar o meu pau enquanto era fodida. Depois. Sandra se virou e eu pude metê-la de quatro também. Alessandra abriu as suas pernas e falou para Sandra chupar sua buceta. Ela aceitou e fez tudinho que Alessandra mandava.

Alessandra gozou enquanto era chupava, e espirrou tudinho no rosto de Sandra, que deu uma risada e continuou chupando. Também senti Sandra gozando no meu pau, foi uma sensação maravilhosa. Logo em seguida, tirei o meu pau e gozei na bunda da minha namorada, sujando ela todinha. Sandra se virou novamente para mim, ela disse que ainda queria mais. Começou a me chupar e logo eu já estava completamente ereto novamente. Ela disse que queria uma dupla penetração, comigo comendo o seu cuzinho enquanto Alessandra comia a sua buceta.

Aceitamos, então Alessandra se deitou na cama e Sandra foi por cima dela. Eu fiquei de pé, de costas pras duas. Passei um pouco de lubrificante no meu pau e comecei a meter. Sandra não era de ficar dando o cuzinho pra mim, então era bem apertado, fui colocando bem devagar, mas ela já sentava com força em Alessandra. Depois que nós dois começamos a fodê-la até a safada enlouquecer. Ela gemia alto e pedia para meter com mais força. Gozou novamente e beijava Sandra quase que em transe. Eu também gozei de novo, dessa vez dentro do cuzinho da Sandra, e antes de tirar o meu pau de dentro já sentia a minha porra escorrendo pra fora.

No início de tudo, eu tinha achado bem estranho transar com a minha namorada e com a minha irmã. Mas no calor do momento, tudo fluiu maravilhosamente, que acabei nem ligando para isso tudo.

Acabamos caindo completamente exaustos. No dia seguinte acordamos de ressaca, mas lembrávamos da louca noite que tinha acontecido.

Depois daquilo tudo, passeamos pela cidade, e durante a noite fomos pra rodoviária pegar o ônibus de volta. Agora, depois novamente de outro ano, estamos indo visitar Sandra novamente, preparados para boas e picantes histórias entre nós três!

13.600 views views
3.7/5 - (20 votes)

Contos relacionados

Uma noite de sexo com meu sobrinho dotado

Estou aqui hoje para contar a noite em que transei pra caralho com o meu sobrinho dotado. Me chamou Paula, tenho 38 anos e adoro uma piroca de novinho. Confesso a vocês, quando mais jovem a pica, mas...

LER CONTO

Sexo com o primo distante

Fiz sexo com o primo gostoso Eu me chamo Luísa, acabei de fazer 19 anos, e moro na capital com meus pais. Esse ano meus pais decidiram fazer uma festa de família, para reencontrar parentes que...

LER CONTO

Comendo a prima solteirona com tesão

Conto erótico de sexo com a prima puta da buceta gostosa Hoje trago o relato de um homem bem sortudo que teve a sorte de ficar sozinho em casa com a prima novinha e fodeu com a gostosa. Claro que...

LER CONTO

Comendo minha prima e a filha de 18 dela

Transei com a minha prima e a filha dela Era um sábado, estávamos comemorando o aniversário do marido da minha prima, ela tinha 40 anos e um corpo de dar inveja em qualquer mulher mais nova, a...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 1 + 1 = ?
Desfrute do maior acervo de contos eróticos verídicos da internet e o melhor que o nosso conteúdo é 100% grátis.
© 2022 - Seus Contos Eróticos