Seus Contos Eróticos » Esposa Pornô » A amiga safada da minha esposa

A amiga safada da minha esposa

Publicado em março 8, 2021 por Nordestino_Tarado

A amiga safada da minha esposa

Me chamo João Vitor, tenho 35 anos, sou casado e durante um sábado, minha esposa estaria de folga. Ela acabou combinando com uma antiga amiga dela para vir aqui em casa almoçar, bater papo e fofocar sobre a época da faculdade.

Na sexta, um dia antes, minha esposa disse que a Camila (amiga dela) viria passar o sábado e gostaria que eu fizesse um churrasquinho na piscina. Eu disse que tudo bem e que iria bem cedo ao mercado. Comprei carnes, vinhos e cerveja para nós, pois o sábado prometia e estava muito calor.

Quando chego em casa, Camila tinha acabado de chegar. Ela vem de uma cidade vizinha que fica perto da nossa. Eu a cumprimentei e analisei a mulher loira. Ela é de estatura mediana, branquinha, peitos com silicone e bunda redondinha. Ela estava com um body e um shortinho jeans meio folgado, que mostrava a polpa da bunda.

Elas entraram no quarto e eu fui preparar as coisas. Um tempo depois elas desceram para a piscina, minha esposa com um biquíni safadinho que eu adoro, todo amarelo claro e que marca bastante. Camila colocou um biquíni branco cortininha e ficou lindo nela.

O biquíni era tão pequeno que dava pra ver uma parte de sua virilha exposta. Minha esposa disse que minha sunga estava em cima da cama, subi e fui vestir. O churrasco foi rolando, minha esposa e a Camila tomando sol, quando minha mulher pede para eu passar protetor nas duas.

Espalhei o creme, passei na minha esposa e depois fui passar na Camila. Durante a passagem, apertei a bunda dela discretamente, ela olhou para trás e viu minha sunga preenchida. Na hora ela abriu a boca como se tivesse espantada. Terminei, pulei na piscina e as duas logo deduziram que eu estava de pau duro. Ela cochicharam, mas acabei ouvindo algo e logo escutei minha mulher rasgando elogios pelo fato de eu ser bem dotado.

Ela pediu pra eu sair da piscina para a Camila ver como é. Me aproximei da minha esposa com minha sunga apertada fazendo meu pau explodir por baixo. Ela passa a mão por cima e dá aquela ajeitada. As duas caem no riso, claramente alteradas por conta das bebidas. Fico na churrasqueira por alguns minutos, quando de repente sem querer, dou uma encoxada na Camila.

Ouvi ela falar “Nossa, que delícia!” e logo depois ela foi pegar cerveja no cooler e comentou que minha mulher estava passando bem mesmo. Disfarcei e dei aquela arrumada na sunga para a Camila olhar. Dava pra ver a cabeça marcada na sunga, ela me olha com desejo, vai até onde minha esposa estava e começa a rebolar ao som da música.

Eu já estava na cabeça que ia comer ela de um jeito bem gostoso. Foi anoitecendo, caiu a temperatura, então entramos em casa, fui para o meu quarto tomar banho e logo minha esposa chega e entra comigo. Acabamos transando, Camila estava em outro banheiro, que dava pra ver a sombra dela na janela e eu metendo em minha esposa. Ela gemendo, gritando, pois estava um pouco alterada de bebida.

Abri a janela pra Camila ouvir tudo, minha esposa pediu pra gozar na cara dela e pedi pra ela falar mais alto, bati em sua cara com meu pau, ela pede mais, então eu gozo. Ela engole tudo, terminamos o banho, me troco e vou para a sala. Minha esposa chama a Camila para o quarto pra se trocarem juntas e passar hidratante.

Passo pela porta, que está fechada, mas ouço as duas conversando, a Camila dizendo que ouviu tudo e minha esposa contando o que rolou entre a gente. Meu pau cresceu novamente ouvindo tudo aquilo, mas me contive e voltei pra sala. Depois elas saíram do quarto, as duas usando vestidinhos soltinhos e minha mulher sem calcinha como sempre.

A gente voltou a beber e petiscar, quando minha esposa bêbada abre a perna, mostra a buceta e eu disse brincando pra ela se comportar por causa da visita. Nisso minha mulher respondeu que a amiga dela fazia muito pior e que provavelmente ela também estava sem calcinha.

Ela pediu para a Camila mostrar, então a safada se levanta, minha mulher vira ela de costas, levanta o vestido mostrando a bunda dela. Eu fiquei louco com a cena e disse que só eu que estava de cueca e short e que também ia tirar pra ficar mais a vontade.

Elas se olharam de um jeito safado, o desejo na cara delas. Camila sem hesitar, se ajoelhou em minha frente, dá uma lambida no meu saco e sobe até a cabeça, enchendo de beijos. Ela começa a me pagar um boquete acelerado, como se quisesse fazer aquilo há muito tempo.

Meu pau estava latejando de tesão com a boca daquela safada na minha rola e minha esposa sentada no sofá, apenas observando e se tocando. Em um breve momento ela se juntou à Camila e as duas ajoelhadas começaram a se revezar mamando no meu pau, enquanto eu batia ele na cara das duas safadas. Já não havia mais pudor, meu pau estava mais grosso que de costume.

Eu senti que poderia gozar em qualquer momento, mas pedi para as duas deitarem no tapete. Vejo aquela cena, as safadas empinadinhas, uma do lado da outra, então fiquei em pé me masturbando e vi a Camila afastar a bunda, deixando seu cuzinho à mostra. Não me aguentei e comecei a gozar pelo corpo das duas, com elas se remexendo e eu batendo até a última gota de porra.

Depois que gozo, é difícil meu pau amolecer, então minha esposa me fez sentar no sofá, sentou em meu colo e começou a rebolar no meu pau. Camila sobe no sofá e fica na altura perfeita para minha esposa chupar sua buceta enquanto cavalga em mim.

Aquilo foi me dando mais fogo e comecei a meter com violência, dando estocadas fortes nela. Camila intensifica mais os gemidos e começa a gozar na boca da minha esposa enquanto eu aliso seu cuzinho e vejo seu corpo tendo espasmos.

Minutos depois minha esposa goza com meu pau dentro da sua buceta, enquanto sinto escorrer por cada centímetro da minha rola. Assim que ela saiu em cima de mim já puxei sua amiga, deitei ela em posição de frango assado e perguntei se poderia meter em seu cuzinho gostoso. A resposta vem com um sorriso safado, encaixei a cabeça e fui empurrando.

Vi em sua expressão o quanto estava dolorido, mas ela não pediu pra eu parar. Assim que coloco tudo, deixo por alguns segundos até ela se acostumar e na primeira rebolada que ela dá, comecei a meter levemente. Minha esposa fica ao seu lado chupando seus peitos, beijando sua boca, enquanto vou comendo aquele cuzinho todo apertado, sentindo ele contrair com meu pau dentro e ela perdendo o fôlego entre os gemidos.

Anunciei que ia gozar e comecei a encher aquele cu com minha porra quente. Eu nunca havia gozado duas vezes em um espaço tão curto de tempo. Eu e minha esposa deitamos no tapete, Camila ficou no sofá recuperando o fôlego e se juntou a nós. Ficamos ali, pelados, gozados e satisfeitos, rindo de tudo o que tinha acabado de acontecer.

221 views views

Contos relacionados

A reconciliação com o marido

Minha reconciliação com o marido foi bem quente Era um dia bem tranquilo de feriado. Tudo estava saindo como o esperado e eu e meu marido tínhamos discutido um dia antes e foi uma discussão...

LER CONTO

O casal safado do hotel

Encontro com um casal safado Viajei com um grupo de amigos para passar a virada do ano no litoral, ficamos em um hotel e estávamos curtindo todos os dias pela cidade. Numa certa noite, houve uma...

LER CONTO

Tenho um fogo que não acaba

Sou casada e moramos com minha mãe, dessa forma, eu e meu marido ficamos um pouco sem privacidade, mas em um domingo minha mãe resolveu sair com o namorado, deixando a casa livre para nós dois. ...

LER CONTO

Delírios de uma noite de casal

Delírios de uma noite de um casal Já era tarde da noite e o cansaço tomava conta do meu corpo, meu namorado e eu ficamos abraçados enquanto apoiava a cabeça em seu peito e entrelaçamos as...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 5 + 4 = ?
Desfrute do maior acervo de contos eróticos verídicos da internet e o melhor que o nosso conteúdo é 100% grátis.
© 2021 - Seus Contos Eróticos